Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Faixa de gazza’ Category

Espero que meu pai e minha família abram os olhos para Jesus e o Reino de Deus”.

(Fonte: www.juliosevero.com) – O filho de um dos líderes mais populares da organização terrorista Hamas mudou-se para os Estados Unidos e se converteu ao Cristianismo.


Numa
entrevista exclusiva ao jornal Haaretz, Masab Yousuf, filho do sheik Hassan Yousef, líder do Hamas da Margem Ocidental, criticou duramente o Hamas, elogiou Israel e disse esperar que seu pai terrorista abra os olhos para Jesus e para o Cristianismo.

“Sei que estou colocando minha vida em perigo e estou em risco de perder meu pai, mas espero que ele entenderá isso e que Deus dará a ele e minha família paciência e disposição de abrir os olhos para Jesus e para o Cristianismo. Talvez um dia poderei voltar à Palestina e para Ramalá com Jesus, no Reino de Deus”, disse Masab.

Masab disse que no passado ajudou seu pai nas atividades do Hamas, mas agora ele tem amor por Israel e lamenta a existência do Hamas.

“Mandem minhas saudações a Israel. Sinto falta desse país. Respeito Israel e o admiro como um país”, diz ele.

“Vocês judeus precisam estar cientes: Vocês nunca, mas nunca terão paz com o Hamas. O islamismo, como a teologia que os guia, não permitirá que eles cheguem a um acordo de paz com os judeus. Eles crêem que a tradição diz que o profeta Maomé lutou contra os judeus e que portanto eles devem continuar a lutar contra eles até a morte”.

Masab criticou fortemente a sociedade palestina como “uma sociedade inteira que santifica a morte e os terroristas suicidas. Na cultura palestina, um terrorista suicida se torna um herói, um mártir. Os sheiks dizem a seus alunos acerca do ‘heroísmo dos shaheeds [em árabe, mártires santos, termo aplicado pelos palestinos aos homens-bombas suicidas]’”.

O pai de Masab é considerado a figura mais popular do Hamas na Margem Ocidental. Ele está cumprindo uma sentença de prisão em Israel por planejamento ou envolvimento em múltiplos ataques terroristas, inclusive uma infame explosão suicida em 2002 no restaurante da Universidade Hebraica de Jerusalém, onde nove estudantes e funcionários foram mortos.

Numa declaração à agência noticiosa palestina Maan, Suhaib, que é irmão de Masab, negou fortemente que Masab se converteu ao Cristianismo.

Mas o jornal Haaretz mantém-se fiel ao artigo. O jornal disse que enviou um correspondente aos Estados Unidos para um encontro e entrevista pessoal e minuciosa com Masab.

Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com

Fonte: Blog Rede Vox Dei! RVD

Anúncios

Read Full Post »

IRÃ (3º) – A polícia iraniana prendeu dez ex-muçulmanos convertidos ao cristianismo no dia 11 de maio na cidade de Shiraz. Outros dois ex-muçulmanos foram presos em um parque no dia 13 de maio e continuam presos, sob condições desconhecidas. Mahmood Matin e um segundo homem identificado apenas pelo primeiro nome, Arash, são membros de um grupo cristão que se reúne em uma residência.

Outros oito convertidos presos em Shiraz no dia 11 de maio foram soltos separadamente nas semanas seguintes e vão responder a um processo no tribunal, seis sob a acusação de promoverem atividades contra o islã e dois sob a acusação de trabalharem contra o país.

De acordo com as leis islâmicas rígidas do Irã, é ilegal converter os muçulmanos. E qualquer muçulmano que se converta do islã para outra religião pode vir a ser executado.

Um projeto de lei antes do parlamento iraniano reelegido faria a pena de morte obrigatória para “apóstatas” que deixam o Islã ( leia mais).

Nas últimas três décadas do regime islâmico no Irã, centenas de cidadãos que deixaram o Islã e os que se tornaram cristãos foram presos por semanas ou meses, mantidos em locais desconhecidos e sujeitos a dor psicológica e física.

Apesar de terem saído da prisão, sob fiança, eles permanecem ameaçados de acusação criminal caso ousem adorar nas igrejas domésticas ou se envolvam em qualquer atividade cristã.

Minoria reprimida

O ativista de direitos humanos iranianos, Shirin Ebadi, falando de Londres, disse que o governo prende freqüentemente os membros da minoria cristã acusados de trabalhar contra a segurança nacional, uma acusação geralmente usada contra os muçulmanos convertidos ao cristianismo.

“Eu às vezes penso que o governo iraniano está sofrendo de uma fobia”, disse Ebadi, de acordo com jornal “The Independent”.

“Eles pensam que todo o mundo deseja subverter o governo. Quando os motoristas de ônibus protestam contra baixos salários, eles são lançados na prisão.”

Fonte: Underground

Read Full Post »